quarta-feira, 3 de maio de 2017

O BOM PASTOR

Texto base: João 10:1-18 
 
Na passagem bíblica de João 10:1-18, aprendemos que Jesus é o nosso Bom Pastor, pois, como um pastor cuida com carinho de seu rebanho, Jesus sabe nos conduzir pelo caminho correto e cuida de cada um de nós com bastante cuidado.
 
"Como pastor ele cuida de seu rebanho, com o braço ajunta os cordeiros e os carrega no colo; conduz com cuidado as ovelhas que amamentas suas crias" Isaías 40:11
 
No livro "Pastoreados por Paulo", do pastor Israel Belo de Azevedo, lemos: "Quem lê o salmo 23 não pensa que Deus é um pastor de ovelhas com um cajado na mão a cuidar delas, mas - isso, sim - imagina que Deus se parece com um pastor de ovelhas com um cajado na mão a cuidar dos seus filhos."

Jesus é o nosso Bom Pastor porque Ele dá Sua vida pelas Suas ovelhas; quando uma se perde, Ele deixa as outras e vai atrás dessa. (Lucas 15:1-7). 

Jesus ama cada um de nós igualmente e cuida de cada um de nós individualmente. Porque Ele é o nosso Bom Pastor. 

Nós temos que conhecer a voz de Deus. As ovelhas conhecem a voz do seu pastor e por isso vão atrás dele, pois sabem quem as está conduzindo e confiam nele. Se conhecermos bem Jesus, vamos segui-lo sempre e não vamos nos enganar quando outra voz nos chamar. Se conhecermos a voz de Jesus, nosso Pastor, vamos saber quando é Ele que está nos chamando e quando é um estranho. Pois, como as ovelhas, nós temos que fugir do estranho, pois não sabemos para onde ele nos conduzirá. 

Devemos confiar em Jesus, porque Ele sabe por qual caminho temos que seguir. Por isso, precisamos ouvir mais a Jesus, passar mais tempo em oração, conhecer mais profundamente a voz do nosso Bom Pastor. 

Jesus é a porta das ovelhas (v.7). Quem entrar por essa porta será salvo, terá uma vida eterna (v.9) e feliz ao lado de Jesus. 

Ore agora pedindo sabedoria à Jesus para reconhecer a voz Dele, e entregue sua vida nas mãos de Jesus, pois Ele cuida de cada um de nós e nos carrega no colo. (Isaías 40:11). 

Ore assim: 

“Senhor, quero entregar toda a minha vida a Ti, pois está escrito em João 3:16 que o Senhor amou o mundo de tal maneira, que enviou Teu único Filho para nos salvar. Quero abrir as portas do meu coração para reconhecer e receber a Jesus Cristo como meu único Senhor e Salvador da minha vida. Em nome de Jesus, Amém!” 

Fonte : Prazer da Palavra (Stéphanie Elise.)

segunda-feira, 13 de junho de 2016

EITA DEUS BOM!!!


Saí quase atrasado de casa e precisava me apressar para não chegar atrasado à repartição.  Ainda por atravessar a avenida, mas com o ponto do ônibus já ao alcance da vista, vejo que bem na hora lá vem a condução.  Com algum esforço e cuidado, eu me apresso para alcançá-la e deixo apenas os lábios sussurrarem (andando sozinho, o som era desnecessário):
— Eita Deus bom!!!  Lá vem o ônibus!!!
Mas não me serviria... era um ônibus...  mas a linha era outra...
Então, antes que o Encardido fizesse pousar qualquer outra ideia em minha cabeça, eu me apressei em afirmar, agora em voz alta, com convicção e diante de um ponto de ônibus já repleto de expectadores:
— O que não muda nada!!!  Deus continua bom!!!
E continuei lembrando dos Salmos...  Por que, se tem uma afirmação recorrente no Livro dos Saltérios é que Deus é bom
Às vezes sou muito tentado a olhar a existência com os olhos de Tomé: de forma pragmática só é possível enxergar a bondade quando ela obviamente me ocorre.  Mas crer em tal bondade como um princípio básico e norteador da vida na certeza de que, mesmo quando não a percebo, ela está ali e é mais real que o cotidiano, é acrescentar significado à poesia magnífica do Salmo cem:
Pois o Senhor é bom e o seu amor leal é eterno; a sua fidelidade permanece por todas as gerações (Sl 100:6).
Em meio ao monótono concreto, ao negro asfalto, à agenda entulhada, ao relógio de ponto, ao ônibus lotado, ao vazio da multidão, à ilusão da mídia, à liturgia insípida... Deus é bom e pronto!  Nada me tira esta certeza!
E quanto ao transporte... eu não tinha visto ainda que vinha outro logo atrás, então consegui chegar à tempo.  Eita Deus bom!!!

terça-feira, 24 de maio de 2016

UMA FAMÍLIA NA BÍBLIA

O primeiro livro de Samuel no AT inicia nos falando de uma família – Deus gosta de começar suas intervenções por aqui!  A princípio parece uma família como outra qualquer; mas se olharmos cuidadosamente veremos que se trata de uma família diferenciada.  Vejamos alguns dos personagens que compõem esta família:
Em primeiro lugar vamos conhecer Elcana.  O texto diz que “havia certo homem de Ramataim...” e não entra em mais detalhes.  Mas vejamos que este levita de Efraim era um bom homem.  Como líder espiritual e responsável pela sua família, Elcana cumpria rigorosamente seus compromissos com o Senhor dos Exércitos e dava exemplo aos da sua casa (1Sm 1:3).  Veja outros exemplos de homens que foram sacerdotes para os da sua casa: Abraão (Gn 17:9); Jó (1:5); Josué (24:15) todos homens honrados e abençoados por Deus.
Também sobre Elcana devemos frisar que ele era completamente apaixonado pela sua esposa.  Note que ele se oferece em consolo a ela pela impossibilidade de gerar filhos, além disto, o texto diz que ele concedia à sua mulher poção dupla da oferta a ser entregue ao Senhor porque a amava (1Sm 1:5).  Que exemplo!  Parece que este homem já estava antecipando o que no NT estaria prescrito em Ef 5:25.
Sobre sua mulher Ana também dois destaques fazem dela uma mulher exemplar.  Em primeiro lugar ela se mostra uma mulher sábia ao tentar resolver seus problemas sem que isso desestruturasse toda a ordem familiar (nela cumpre-se Pv 14:1).  Mas principalmente Ana mostrou seu valor em ter buscado no Senhor a solução para o seu conflito: uma mulher que ora como Ana é capaz de mover os céus e transformar sua família (compare com Sl 37:5).
Como resultado deste casal, Deus fez nascer Samuel.  Um homem como poucos em toda a Bíblia.  Quando era ainda era criança já ouvia a voz de Deus (leia 1Sm 3).  Depois de se tornar homem feito, foi aquele que o Senhor levantou para ungir Saul e Davi reis de Israel e ser o porta-voz divino aos soberanos nacionais.  Com certeza Samuel foi o que foi também por influência da família que teve, pois Deus honra a fidelidade de seus servos (considere ainda Pv 22:6).
Esta é sem dúvida uma família que a Bíblia nos apresenta e que deve pautar a nossa família hoje.  Seja qual for o seu papel em sua casa, compare-se com o exemplo bíblico e procure viver do modo que mais agrada ao nosso Jesus.   Certamente ele também honrará nossa fidelidade hoje.  Que o Senhor abençoe sua família.

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

A FAMÍLIA DE DEUS

A Bíblia nos diz que no princípio Deus criou todas as coisas.  Neste processo, formou o ser humano a sua imagem.  Compreendendo assim, inicialmente devemos ver que Deus é o modelo que todo homem e toda mulher deve seguir.  Pensando em família, o modelo apresentado pelo Mestre deve ser então o parâmetro para as nossas famílias.
Como igreja, somos chamados de Família de Deus.  Como família, também nós – igrejas – temos virtudes e defeitos. Mas, sem dúvida, é pensando numa igreja-família que devemos aprender os acertos de uma para passá-los à outra e os vícios de cá para evitá-los lá.
Lendo a Carta aos Efésios podemos extrair pelo menos três parâmetros básicos que uma família deve apresentar para ser considerada Família de Deus – aqui penso tanto na minha igreja em geral como na minha casa em particular.  Vejamos:
Portanto, sejamos imitadores de Deus, como filhos amados (Ef 5:1).  A família deve ser lugar de crescimento.  Num lar onde o modelo divino prevalece, os pais são exemplos dignos a serem seguidos e os filhos sabem que seguir os seus passos é garantia de qualidade de vida (veja no Sl 132:12 uma promessa sobre isso).
Como filhos de Deus, devemos olhar para nosso Pai celeste e procurar imitá-lo em tudo.  Assim deve ser o padrão de relacionamento na Família de Deus.
Do qual recebe o nome toda a família nos céus e na terra (Ef 3:15).  A família precisa ser um lugar de referência. Ao colocar a família como referência, Deus estava estabelecendo um ambiente onde cada um dos seus filhos e filhas experimente a certeza de se saber incluído (lembre que foi disso que o filho pródigo sentiu falta ao lembrar da casa do pai na parábola em Lc 15:17).
Como Família de Deus é importante que transformemos nosso lar em um lugar onde todos possam ter referência e sentido para suas vidas.  Assim deve ser o parâmetro na Família de Deus.
Vocês já não são estrangeiros, nem forasteiros, mas concidadãos dos santos e membros da família de Deus (Ef 2:19).  A família tem que se tornar necessariamente um lugar de acolhimento.  O ambiente da família no modelo de Deus é o lugar onde cada um dos seus membros – do mais velho ao mais novo – se sente querido e acolhido e sabe que é bem vindo e tem abrigo (a promessa de Jesus sobre as moradas da casa do Pai em Jo 14:2 transpira um acolhimento assim).
Como na casa do Pai eterno, as nossas casas precisam ser um lugar que nos permita chegar e saber somos sempre bem-vindos.  Assim deve ser o lar que se espelha da Família de Deus.
Deus é o nosso Pai amoroso, e seu exemplo de família precisa ser valioso e indispensável para construirmos nosso lar e nossa igreja.  Que façamos deste exemplo nosso parâmetro de vida; para a glória exclusiva do Pai.

(Este texto apareceu pela primeira vez no sítio ibsolnascente.blogspot.com em 30/04/2009)
 

Veja tambem

http://www.blogcruzvazia.com.br/2011/09/resposta-oracao-em-meio-respostas.html#.TxqxToHp6bw